28/07/2008

Técnicas de marketing

Gostei do texto da Danni "Omissões estratégicas e meias verdades - reflexão" (http://www.incoerencias.blogs.sapo.pt).
Mais do que um texto, é tal como ela diz uma boa reflexão acerca da forma como acabamos por nos envolver nas mentiras, meias verdades e omissões que nos vão impingindo com vista a atingir um objectivo que quase sempre desconhecemos.
A mentira e sempre estratégica. Tem sempre o objectivo de contornar uma verdade, de esconder, de delinear um cenário que nos agrada, omitindo partes menos agradáveis de uma história de vida, dizendo apenas o que é mais agradável de se ouvir.
Todos nós acabamos em muitas situações, por omitir factos, por contar apenas o que nos convém, até mesmo por inventar um situação... Acabamos por mostrar apenas o que é mais agradável de se ver, e escondemos o que sabemos que não é muito aceite por quem nos ouve.
A mentira acaba assim por ser uma estratégia não muito inteligente para cativar, para conquistar e na maior parte das vezes, para enganar alguém. Digo que nao é inteligente, porque , quando descobrimos a verdade ( e essa acaba sempre por se revelar), acabamos por verificar que estamos perante pessoas que não conhecemos, situações que não aconteceram, palavras que não foram ditas, promessas que nunca irão ser cumpridas, sonhos que nunca irão ser vividos, projectos que acabam por se desfazer...
Assim como as mentiras, as meias verdades podem igualmente levar-nos a descobrir a outra metade da história, a mais cruel e mais dolorosa. Aquela que preferíamos nunca ter sabido, (e aí percebemos porque nunca nos contaram antes).
Tudo isto é como vender um produto maravilhoso com defeito por um bom preço. Quem o compra acaba por gostar do produto, consumi-lo, habituar-se a ele e a partir de certa altura já não consegue passar sem ele. Depois o produto vai-se desgastando, perdendo o brilho e a eficácia. O defeito vai aparecendo, e o produto já não é o mesmo. Sentimo-nos enganados porque alterámos a nossa vida em função de algo que não existe, que nunca foi nem nunca será aquilo que julgámos que fosse. Dependendo do defeito, acabamos, ou não por aceitá-lo e ficar com ele mesmo assim, sem reclamações, devoluções ou prazo de garantia. Mas nunca esquecemos que fomos enganados.
As mentiras e omissões são por isso estratégias de venda de um produto não muito recomendável, mas ainda assim passível de ser consumido.
Afinal de contas, todos temos em nós uma parte que merece ser apresentada como o melhor produto, e uma outra que deve ser omitida para não estragar a venda.
Pior, é quando a mentira deixa de ser um estratégia e passa a ser um hábito diário, cada vez melhor engendrado, de forma a fazer bater tudo certo, ou, pelo menos, para tentar que tudo bata certo.
Melhor será passarmos a ser consumidores inteligentes capazes de reconhecer falsos vendedores e produtos contrafeitos para não cairmos no conto do vigário.
por vezes sou habilmente manipulada por meias verdades e omissões estrategicamente engendradas com vista a atingir um fim que desconheço completamente. Confesso que ás vezes consigo reconhecer que há algo que não bate certo, mas ainda me é ainda muitas vezes difícil desmascarar o(s)vendedor(es). Estou cercada de habilidosos técnicos de marketing. Já não sei quem são os bons e quem são os maus. Sou uma consumidora passiva que não consegue ainda perceber o alcance da venda. Sou uma consumidora que vai estrategicamente acreditando nas características de um produto que me querem vender. Sou ainda daquelas consumidoras que não conseguem dizer Não a um produto que desconhece e que (aparentemente) preenche as minhas necessidades. Sinto-me tentada a adquiri-lo e a experimentá-lo. Tenho a certeza que ainda com alguns defeitos, serei capaz de me habituar a ele e gostar dele como se fosse perfeito, mas tenho ainda muito medo de ser "enganada" pelo vendedor....

3 comentários:

Danni disse...

Dizes uma coisa muito importante... "Dependendo do defeito, acabamos, ou não por aceitá-lo e ficar com ele mesmo assim, sem reclamações, devoluções ou prazo de garantia. Mas nunca esquecemos que fomos enganados."

É que não esquecemos mesmo!

Gostei do teu texto. Foi uma exclente abordagem! A sério, foi mesmo!
Jinhos

Cinderella disse...

Pois é Danni não esquecemos! Principalmente qd adquirimos produtos de péssima qualidade. Esse tipo de produtos deviam ser banidos do mercado! Será que a ASAE não tem controle sobre estas coisas??
Agora dispenso grandes spots publicitários, ou slogans apelativos. Os bons produtos dispensasm publicidade. São bons e isso basta! São é muito raros...

fada madrinha disse...

Mas voçês estão a falar de que tipo de produto?
Não metam a ASAE nisso! O mundo ficará sem HOMENS!